Carta aberta de repúdio à Escolinha do Professor Raimundo

Morreu Chico Anysio. Bom, ainda não morreu, mas esse blog precisa de atualização e o cara tá demorando demais, lá em cima do telhado só esperando pra ser puxado. Seria uma surpresa enorme se ele vivesse a tempo de assistir O Hobbit.

É inegável que Chico Anysio foi um nome notável no humor nacional, desde seu início de carreira copiando e traduzindo as piadas de grandes nomes do humor americano e inglês, mas também por ter colocado no mundo centenas de personagens (e filhos) engraçados ou não. Ele também colocou no mundo o Bruno Mazzeo, e não tenho certeza se ele merece perdão por isso, mas alguém que casou com a Zélia claramente deve ter algum problema sério de conduta.

Chamada para Raimundo

Chamada para Raimundo... Porque diabos o professor tem um telefone na sala de aula?

O auge de sua carreira e criatividade foi, em minha opinião, a Escolinha do Professor Raimundo. Nos anos 90, a atração conseguiu um horário nobre diário na Globo, onde teve a sua melhor fase (qualquer exibição antes disso deve ser encarada como completamente irrelevante, pelo fato de eu não ter lembranças da época). Apesar do sucesso, muitos pontos do programa ainda me causam um certo incômodo. Continuar lendo

Estudando o amor

Se o amor fosse motivo de estudos, ele teria que ser uma matéria à parte. Uma matéria multidisciplinar, na verdade.

Livro para entender o amor

Apostila para entender o amor - Livro 1 (via @intrometidos)

Porque o amor é matemática: é cheio de igualdades e desigualdades e, no fundo, ninguém entende mesmo. É descobrir que 1+1 pode resultar em uma multiplicação incalculável; e descobrir que 1-1 pode resultar em tudo o que você tem dividido por dois. É descobrir que o infinito tem um fim e que o eterno um dia acaba.

O amor é cálculo: É se integrar para ver se algo deriva daquilo. E, se o amor for derivada, então eu sou o ex.

Continuar lendo

Matemática popular

Depois que o MEC adotou um livro de português que defende alguns erros gramaticais, o próximo passo vai ser adotar um livro de matemática que defenda diversos erros matemáticos:

Encontre x

Eu adoraria dar créditos a esta imagem, mas já é impossível.

Questão: O custo para a construção de um estádio é de R$ 705 milhões. Arredonde o número.
Resposta: R$ 1 bilhão.

***

Questão: Mano Menezes têm 1.800.000 seguidores no twitter. 50% deles acompanham as mensagens. Quantos seguidores lêem o que o mano escreve?
Resposta: Cerca de umas 10 ou 15 pessoas. Afinal, dos 50% restantes, metade é fake e a outra metade é corintiana e ainda não aprendeu a ler.

***

O Teorema de Pareto também está no livro. Ele serve para explicar o superfaturamento de grandes obras, a partir do princípio 80-20: 80% para a empreiteira, 20% para o político.

***

Questão: Em 2004 o governo de São Paulo começa a construir uma linha de metrô. A expectativa é que a linha esteja pronta em 4 anos. Em qual ano os paulistas vão poder usar a linha?
Resposta: Esta questão ainda não tem resposta.

***

Além da Sequência de Fibonacci (0, 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, etc…), o livro apresenta a novíssima Seqüência de Palocci (1, 20, 400, 8000, 160000, etc…), que consiste em multiplicar o valor por 20 a cada 4 anos.

***

Questão: Um estuprador estupra 5 mulheres por mês. A cada mulher estuprada ele ganha 500 manifestações de repúdio. Quantas manifestações de repúdio ele tem depois de um semestre?
Resposta: Essa questão é uma pegadinha! O repúdio só é gerado se o estuprador gozar. Não há problema quando se leva o estupro a sério.

***

Além de serem elevados ao quadrado e ao cubo, os valores também podem ser elevados à caixa 2. A diferença entre o resultado final e o valor inicial ninguém sabe direito onde vai parar e nunca é devolvida.

***

Cálculo diferencial e integral:

  • Calcule o limite do humor.
  • ∫(homossexual) = integrando os homossexuais.
  • Moradores de Higienópolis apresentam problemas com equações diferenciais.

***

Formanda

Um 10 merecido!

Detectores de metais

Projetos prevêem detectores de metal nas escolas

Se confirmado o projeto de detectores de metais nas portas das escolas, a nova tabela periódica seria ensinada assim:

Tabela Periódica

Nova tabela periódica após a proibição dos metais

Isso tornaria muito mais fácil para os alunos, que teriam menos elementos para não aprender. Prossegue ainda o debate sobre a restrição ou não aos semi-metais.

Outros projetos incluem raio-x, restrição a materiais inflamáveis e embalagens contendo líquidos acima de 100ml e proibição de materiais das aulas de artes.

(Agradecimentos ao Guilherme por ter revisado minha tabela – Porra! Já faz 8 anos que eu não tenho uma aula de química!)