Pequeno dicionário do manifestante moderno

Imagina que o seu amigo passou três meses em coma. Aí o cara acordou, ligou a TV e não está entendendo nada do que dizem nos noticiários. Aí ele te faz umas perguntas e você tenta responder, mas percebe que não está entendendo nada também.

Eu também não estou entendendo nada. Mas como eu sou um ignorante pró-ativo, eu fiz um pequeno dicionário pra você mostrar pro seu amigo, pra ele parar de te encher o saco, enquanto você chama a enfermeira pra tentar jogar ele em um coma induzido, pensando que talvez possa pedir um coma induzido pra você também, que não seria uma má idéia, afinal.

Não é pelos 20 centavos!

Não é pelos 20 centavos!

Coxinha – É o reaça que vai em manifestações. Ver também: reaça, esquerdista, direitista

Cura gay – É como se fosse o tratamento medicinal por cristais. Se você tem uma dor lombar e acredita que isso funciona, você pode ir lá e ficar deitado numa cama, enquanto uma chinesa de 127 anos coloca pedaços de quartzo em diferentes pontos do seu corpo de forma a alinhar suas energias com a dos astros. Cura gay é quando, ao invés de uma dor lombar, o negócio é literalmente mais embaixo e, ao invés de uma chinesa de 127 anos é um psicólogo evangélico e, ao invés de colocar os cristais de ametista, ele os tira de você. Ver também: homeopatia, horóscopo

Datena – É o Galvão Bueno das tragédias. Sabe aquela criança que desligava o videogame quando estava perdendo de 3×0 pra você no Winning Eleven e saía dizendo que “não valeu porque o jogo não acabou”? Ela virou o Datena. Ver também: Jabor

Direitista – É o esquerdista de direita. O direitista é aquele cara que ficou muito surpreso com o aumento do ônibus simplesmente pelo motivo que ele não sabia que era possível andar de ônibus na cidade. Ver também: esquerdista; Ler também: Veja

Esquerdista – O esquerdismo é mais do que uma visão política, é uma filosofia de vida. Se você é vegetariano, o esquerdista é o cara que te pergunta “Nem bacon?”. Se você é religioso, o esquerdista tenta te convencer que Deus não existe; se é ateu, o esquerdista é o cara que bate na porta da sua casa com uma bíblia no domingo de manhã. O esquerdista é o seu amigo corinthiano quando o Corinthians ganha; é o usuário de Mac quando você abre o Windows; é o cara que ficou puto com esse verbete, mas estava rindo com a definição de “direitista” agora há pouco. Ver também: direitista

Fascismo – Atos de manifestação que vão contra os ideais defendidos pelos esquerdistas. Exemplos: querer derrubar o presidente em 2013 (em 1992 tudo bem), protestar contra os partidos, achar que o FHC não foi tão ruim assim. Ver também: socialismo

Fifa – Funciona assim: você é síndico de um prédio. Tem um camarada que você não conhece muito bem, e nem mora no prédio, mas todo mundo diz que é gente boa. Aí esse cara quer fazer uma festa. Como você quer se socializar e já é síndico mesmo, então você diz pra ele que tem um salão de festas bem legal, espaçoso, bonito e que a galera lá é bem receptiva e diz que ele pode fazer a festa no seu espaço. Aí o cara explica que não é bem assim, que ele quer um globo de luzes e precisa ter uma choppeira e quatro banheiros pra atender o pessoal todo. Pra não ficar atrás, você responde que “beleza! Eu arrumo a choppeira, o globo e, como eu já tava querendo fazer uma reforma mesmo, já construo todos os banheiros pra você até a festa. E vai por mim, cara que vai ser a melhor festa que você já deu.”. E o cara aceita.
Só que você não tem dinheiro pra tudo isso. Então você cobra a reforma dos condôminos – que não foram convidados pra festa – compra tudo o que precisa e, aproveitando que já tava com dinheiro na mão também, troca a TV da sua sala e compra um iPod. Aí os moradores percebem o que você tá fazendo e começam a reclamar que não precisavam de banheiros extras com um jardim tão cheio de arbustos, que não precisavam de choppeira quando todo mundo sempre fazia festas com baldes de gelo, que você devia se preocupar em consertar o elevador que tá quebrado há 7 anos e abaixo esse globo aí que só fica jogando luz no salão bonito e não mostra o estado das escadas que não tem iluminação. E ficam putos com o camarada lá. E ameaçam todos os convidados dele dizendo pra não virem pra festa, porque vão bloquear a portaria, pixar o hall de entrada e atirar copos de mijo da varanda.
O camarada é a Fifa.

Golpe militar – Todos temos aquele grupo de amigos completamente atrapalhados, que não conseguem organizar um churrasco de final de semana sem colocar fogo no telhado da casa porque decidiram acender a churrasqueira com um desodorante spray em chamas. Imagine se a Microsoft contratasse esse grupo de amigos para desenvolver a estratégia de marketing de um lançamento surpresa de um novo produto revolucionário que vai jogar o iPhone e o Android na obsolescência. Chamemos esse novo produto de “completa reforma política” e a estratégia de marketing dele de “golpe militar”. Só o pessoal que acredita que o Paul McCartney está morto e que o homem não pisou na lua consegue acreditar que essa turminha desastrada vai conseguir organizar algo complexo assim, então eles ficam repetindo que “está tudo tão estranho”. Ver também: esquerdistas, autópsia de ETs na área 51

Jabor, Arnaldo – Antiga Clarice Lispector da nova geração. Jornalista da rede globo que tem os textos elogiados e compartilhados quando a autoria não é dele e criticados e chacoteados quando a autoria é dele. Ver também: Rede Globo, Datena

Lula – Verbete não encontrado. Procurar de novo quando a situação se acalmar.

MPL – Movimento Passe Livre. Imagine que você goste muito de cerveja e beba cerveja todo dia. Só que o garçom do bar é um péssimo administrador bêbado, que cobra muito pra entregar uma cerveja quente de péssima qualidade. Então você decide que isso não está certo, que todo mundo tinha que ter o direito de beber quanta cerveja quiser de graça. Então, como o garçom já provou ser um péssimo administrador financeiro, você acha que ele tem que ser o responsável por cuidar também do dinheiro que você gasta na cerveja, por algum motivo ainda misterioso. O MPL é a mesma coisa, mas ao invés de garçom e cerveja, ele trata de governo e transporte.

Partidarismo/Anti-partidarismo – Imagina que você foi preso. Aí na cadeia há diversas gangs e facções. E de repente todo mundo começa a organizar um motim. Como você não pode depender do sistema judiciário brasileiro, você entra no motim pra tentar fugir da cadeia também. Aí tem uma gang de estupradores e você reclama que eles ficam levantando a bandeira deles. E tem o Comando Vermelho, que também tem a bandeira vermelha deles. E você reclama com os dois porque você não é nem estuprador e nem bandido, só tá lá pra ver se sua situação melhora, ou se no mínimo você consegue sair da cela do Pedrão, aquele cara de 3 metros de altura que jurou que não ia fazer nada com você só enquanto você estivesse acordado. Mas as gangs também estão no direito delas, porque elas estão no motim desde o começo e os celulares do PCC estão muito tempo sem sinal e você não tem o direito de intervir na manifestação alheia, não importa quão crápulas sejam os interesses dos bandidos ao seu lado.

PEC 37 – É algo chamativo, que não é nada bom e que todo mundo fica feliz quando cai. Tipo o Neymar. Ver também: PEC 33

PEC 33 – Sabe quando o herói derrota um vilão só pra aparecer um outro mais poderoso, mais maléfico e com ideais ainda piores que o primeiro vilão – que você já não conseguia entender direito porque aquele cara era tão mau. E o herói já tá cansado e o filme já se prolongou demais e você tá com vontade de ir no banheiro, mas o herói precisa derrotar esse vilão nesse filme ainda, porque você sabe que essa produção foi um lixo e, se eles deixarem gancho pra uma continuação, ela nunca vai acontecer? PEC 33 é esse vilão mais maléfico (e eu realmente preciso ir no banheiro). Ver também: PEC 37, Homem Aranha 3.

Plebiscito – Imagina que a Dilma tem uma fan-page no facebook e resolve fazer uma enquete. Mas aí você é obrigado a curtir ela e responder a enquete. Só que você não entendeu direito a pergunta, nem as respostas; e toda vez que entra na internet, aparece um pop-up te lembrando que tem enquete na fan-page da Dilma. Plebiscito é essa enquete.

Protesto – É como uma micareta, mas sem música.

Reaça – Tecnicamente, reaça é o termo-contração de reacionário. Convenhamos: no contexto histórico global, já passamos por tudo que é possível e nada deu certo. Seríamos então, todos reacionários em algum aspecto com alguma coisa. Reaça então é o termo usado para definir aquele que discorda de você. Ver também: Reinaldo Azevedo

Rede Globo – Imagina um público assistindo a um espetáculo de fantoches. O público assiste a tudo bem ciente da situação deles e da situação dos fantoches, rindo do fato que os fantoches são meramente manipulados. Agora imagine que esse público são os muppets. E os controladores dos muppets são outros muppets. E os controladores dos controladores dos muppets são outros muppets. Pense que cada um de nós entra em um nível dessa escala de muppets controlando muppets. E a Globo seria o Jim Henson.
Por sorte, somos todos muito espertinhos e temos a certeza que a Globo mente o tempo todo. Quem fala a verdade mesmo é aquele seu amigo que compartilha no facebook que no Japão um professor não se curva para o imperador. Ver também: Jabor, Datena

Turquia – Benchmark do Brasil.

Unbelievable

I can’t believe I’m still fucking protesting this shit!

Nota: Este artigo contém sarcasmo. Eu não tenho opinião formada sobre metade dos assuntos aqui colocados. Se você se sentiu ofendido, pode me xingar aí embaixo. Se não se sentiu ofendido, leia de novo até se ofender.

Este pequeno panfleto de utilidade pública jamais teria sido concebido sem a inefável ajuda de Vinicius “Barba” Vianna e Fernando “Queria viver na época” Messora.