Eu e o homem de 1 bilhão de dólares

“The Social Network”, filme de David Fincher está estreando em terras gringas. A película conta a história de Mark Zuckerberg, o malandro que criou o facebook.
Assim como outros grandes nomes da informática, Zuckerberg também tem uma história conturbada. Não vou entrar nos méritos de sua história. Pelo que parece, creio que o filme conseguirá se mostrar imparcial e cada um que tire sua conclusão. Já gostei bem menos de caras geniais como Bill Gates e gostei bem mais de caras geniais como Steve Jobs. Acho Mark Zuckerberg um cara genial e ninguém acumula um bilhão de dólares com uma empresa sendo um completo babaca.
Sabendo da importância de Zuckerberg e de sua fortuna, é bacana agora eu contar a história do dia que Mark brigou comigo.

Mark Zuckerberg

Já briguei com um capa da Fortune. Só falta pegar uma capa da Playboy.

Foi na metade de 2009. Eu estava trabalhando com um sistema de desenvolvimento para redes sociais chamado “Open Social” quando recebi um convite para ir num evento voltado para programadores, com o objetivo de demonstrar as qualidades do sistema de desenvolvimento “Facebook Platform“. O evento contava, inclusive, com a presença de Zuckerberg.
Era um evento pequeno. Havia somente uns 50 convidados, um coquetelzinho bacana, duas palestras bem básicas. Era somente para vender a idéia do facebook platform para os desenvolvedores brasileiros.
A própria apresentação de Mark foi bem informal. Não havia palco nem nada: Simplesmente Mark falando para algumas dezenas de convidados atentos ao seu redor. Por isso era bem fácil fazer perguntas.

Para entender o que deixou Zuckerberg meio emputecido: O sistema OpenSocial foi lançado pelo Google em Novembro de 2007 como ferramenta de desenvolvimento para diversas redes sociais, como o Orkut ou o mySpace. O facebook, entretanto, não quis se juntar ao Google para a implementação do OpenSocial. Foi também uma decisão política, afinal o facebook tem muito mais usuários que o orkut e não tem porquê se juntar à concorrência. Entretanto, dificulta o trabalho de programadores que às vezes precisam desenvolver o mesmo sistema para as duas plataformas.

E foi essa a pergunta que eu fiz: “Zuckerberg, por que você decidiu não se unir ao Open Social?”. Imagino que metade das pessoas que eu conheço, se tivessem a oportunidade de irritar uma pessoa que possui uma fortuna de 1 bilhão e meio de dólares, não hesitariam muito em fazê-lo (na época a fortuna dele era estimada em pouco mais de um bilhão e meio. Hoje, de acordo com a Forbes, Zuckerberg tem uma fortuna de US$ 6,9 bilhões). Mark usou um tom de voz um tanto exaltado para dizer todas as vantagens do facebook platform, o maravilhoso número de usuários que o sistema atinge em comparação com o OpenSocial e que o seu sistema surgiu antes (verdade: 6 meses antes). Por fim, de um modo um pouco mais agressivo, olhou para o interlocutor da pergunta (eu, no caso) e terminou falando com o dedo em riste que uma pergunta daquelas devia ser feita para o Google, não para ele.

Não que ele tenha ficado profundamente irritado ou que tenha efetivamente brigado comigo. Mas é sempre legal provocar uma pessoa que pode comprar sua empresa só pra te mandar embora ou pode pagar para todos os seus amigos para que deixem de sair com você.

You Look Better on Facebook

Relaxa. Eu também sou mais feio pessoalmente.

Então, se algum dia você ficar irritado comigo por algum motivo, é bom que você tenha mais de um bilhão de dólares para que eu dê algum valor de volta à sua irritação.