Crítica para encher o saco

Pode ser que seja por força do hábito, mas eu sou a favor do fim das sacolinhas plásticas de supermercado.

Quando eu cheguei em Portugal, descobri que a maioria dos mercados não ofereciam essa regalia gratuitamente. Como meu começo de viagem foi um período de vacas magras (no sentido conotativo da alusão), eu não queria gastar 5 malditos centavos de euro cada vez que precisasse comprar atum e cerveja no mercado, então aprendi a ir fazer compras levando uma sacola plástica previamente adquirida. Por conta de não serem gratuitas, as sacolas plásticas portuguesas eram mais resistentes e podiam ser reaproveitadas mais vezes. E mesmo assim, não havia faltas de sacola em casa para serem enviadas para o lixo (com o devido lixo dentro delas). Em momentos que eu realmente não tinha dinheiro nem para uma sacolinha plástica, eu, todo malandrão, pegava um dos saquinhos da área de hortaliças e metia tudo lá dentro depois de passar pelo caixa.

Costuma ser assim em muitos países da Europa. É considerado um hábito saudável por aqui reaproveitar as sacolas e já é um costume as pessoas levarem suas próprias sacolas de feira quando vão ao mercado fazer compras. Brasileiro gosta tanto de exaltar e importar hábitos e costumes dos europeus… Mas quando aparece um costume minimamente útil, TODOS RECLAMA.

compras

É sempre bom transportar suas compras com segurança

O dito grande problema é o tempo de decomposição das sacolas plásticas, que, segundo diz o São Google, podem levar até mais de 100 anos para desaparecer (apesar de se desfazerem em alguns minutos quando você está carregando duas garrafas de refrigerante até sua casa). É mais ou menos o tempo que o Sarney leva para se decompor no senado, mas o prejuízo que ele causa é bem maior.

Minha mãe possui em casa uma gaveta repleta de sacolas de mercado. Talvez seja um extremismo consumista de casa, que não conseguimos nos livrar das sacolas com a mesma afluência com que as adquirimos. Mas é provável que, mesmo se houver o grande holocausto do plástico vagabundo, ainda teríamos sacolas suficientes para forrar os cestos de lixo de São Paulo por alguns meses.

Então, se você achar que é realmente necessário reclamar tanto por essa atitude, passa lá em casa e pede umas sacolinhas de mercado pra mamãe. Ela provavelmente vai ignorar o seu pedido e fechar a porta em sua cara, soltando uma frase que ela adora: “Não enche o saco!”

  • Vanessa

    Tags: Ecologia, mamãe, Política, Portugal 

  • Natália Yoshie

    faltou uma tag “não enche o saco” =p