Austrália – terra australis incognita

Ah! Austrália! Mal posso esperar para ir conhecer esta maravilhosa terra e seu povo acolhedor!

Dê o fora da Oceania! Isto não é War!

Dê o fora da Oceania! Isto não é War!

Este texto é o primeiro de uma série sobre a Austrália e a Nova Zelândia, todos detalhando sobre minha viagem. Na Austrália ficarei por pouco tempo: apenas uma semana e meia, onde eu passarei por 6 cidades: a gigantesca Melbourne, a badalada Gold Coast, a chapada Nimbin, a tranqüila Byron Bay, a não-sei-o-que-esperar Brisbane e a famosa Sydney.

História da Austrália

A história da Austrália é bem recente. É um país mais novo que o Brasil. Apesar de habitado por aborígenes há séculos, foi somente em 1642 que foi descoberta por europeus, mais precisamente pelo holandês Abel Tasman. O navegador fez duas viagens, sendo outra em 1644.

Chupa, Abel! Eu sou mais conhecido que seu país!

Chupa, Abel! Eu sou mais conhecido que seu país!

Nessas viagens, ele descobriu não só a Austrália, mas também a Nova Zelândia, a Tasmania e as Ilhas Fiji. O problema é que Abel Tasman desembarcou somente na parte norte da Austrália, não chegando a visitar a badalada costa leste, e acabou retornando à Europa com descrição da Austrália como “uma zona desértica habitada por nativos pouco amigáveis”. Vê-se que inteligência realmente não era o ponto forte de nosso caríssimo Abel, uma vez que ele resolveu deixar seu nome para posteridade batizando a menor das ilhas: Tasmânia – localizada a 260km ao Sul da Austrália (e como ele não deu um pulo em Melbourne?) – uma ilha menos conhecida que o personagem da Warner.

Por falar em pontos fracos da inteligência descobridora, vale a pena destacar que os portugueses estiveram na Austrália muito antes do sr. Abel – lá pra 1520 e poucos – e também ignoraram a ilha. Alguns navios portugueses naufragaram em terras australianas, condenando os pobres lusitanos a permanecer por ali deitando-se com aborígenes gostosas, lutando contra cangurus e inventando o rugby. Porém há expedições que foram até a Austrália, deram uma olhada nas coisas por lá e retornaram à terrinha. Teorias dizem que o silêncio português em relação àquelas terras deve-se ao nosso conhecido Tratado de Tordesilhas, que dizia que pertenceriam à Espanha toda a terra à esquerda daquela linha que um dia cortou o Brasil. Parece que os portugueses já levavam o jeitinho brasileiro – “se não é nosso, foda-se… deixa os caras descobrirem” – mas não jeitinho brasileiro o suficiente pra simplesmente se apoderar das terras ignorando as leis (assim como eles fizeram com praticamente todo o Brasil).

Enfim, todos esses aí se foderam porque o cara que ficou conhecido como o descobridor da Austrália (e da Nova Zelândia também, que é logo ali) foi o capitão inglês James Cook, oficialmente em 28 de abril de 1770. Como era um cara patriota, ao invés de fundar sua própria nação e dar a ela o nome de Cookyland, quem tomou posse da Austrália foi a Inglaterra. (Não sou muito ligado em regras de localização de novas ilhas… Mas se eu achar, pode ser minha, né?)

Os ingleses, por sua vez, não são bestas e começaram a esvaziar as cadeias da Inglaterra mandando todos os criminosos pra Austrália (Antes eles mandavam pros Estados Unidos, mas conseguir o visto americano de condenado estava ficando cada vez mais difícil). Depois esses caras acharam ouro pra cacete na Austrália, o que podemos considerar como prender um gordinho de castigo numa loja de doces. Os condenados foram se ajeitando, caçando uns cangurus aqui, uns coalas ali, largando a vida do crime e, muito tempo depois, em 1942, a Austrália tornou-se independente do Império Britânico. Acho que foi até um alívio inglês ter menos terras pra defender na Segunda Guerra. Tanto que logo depois, a Austrália teve que pedir ajuda ao Estados Unidos para se defender dos ataques japoneses, veja só!

Austrália hoje

Hoje a Austrália ocupa o segundo lugar no IDH – índice de desenvolvimento humano – um índice criado pela ONU para medir o bem-estar de uma população. Nada mal para um país que começou como terra de bandidos. O Brasil é o 75º. Chupa Brasil com suas olimpíadazinhas de merda. Bem mal para um país que deverá terminar como terra de bandidos.

A população australiana é de mais de 22 milhões de pessoas e aproximadamente 40 milhões de cangurus (é sério). A capital é Canberra (não Sydney). A moeda vem se fortalecendo e o país vem crescendo bastante.

A região da Oceania, nestes últimos dias têm passado por uma série de eventos naturais, como tempestades de areia, terremotos e tsunamis. Mas as últimas explicações ciêntíficas apontam que é uma forma que o ar, a terra e a água usam para demonstrar o repúdio pelo indesejável visitante que está por vir.

Fazer o quê? Vão ter que me aturar umas 3 semanas…